18.8 C
Dourados
domingo, 26 de junho, 2022

Em vigor novas regras para gastos dos governos com propaganda em ano eleitoral

Foi publicada na edição nº 103, do Diário Oficial da União (DOU), a Lei 14.356 que modifica as regras de limite de gastos com propaganda em anos eleitorais para órgãos das esferas Federal, Estadual e Municipal.

De acordo com a publicação, além de tratar das contratações de serviços de comunicação institucional, a nova legislação dispõe sobre despesas com publicidade dos órgãos públicos no primeiro semestre do ano de eleição, uma vez que, modifica a Lei nº 12.232, de 29 de abril de 2010, e a Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997.

A partir de agora, fica vedado empenhar despesas com publicidade dos órgãos públicos ou das respectivas entidades da administração indireta, no primeiro semestre do ano de eleição, que excedam a seis vezes a média mensal dos valores empenhados e não cancelados nos três últimos anos que antecedem o pleito.

De acordo com o documento, a publicidade institucional de atos e campanhas destinados exclusivamente ao enfrentamento da pandemia e à orientação da população quanto a serviços públicos relacionados ao combate da mesma, não estão sujeitos a esse limite resguardada a possibilidade de apuração de eventual conduta abusiva.

Outro detalhe, refere-se às novas regras para a licitação e contratação de serviços de comunicação institucional, que incluem gestão de redes sociais e serviços para otimização de mecanismos de busca (search engine optimization). Para esses serviços estão definidas licitações pelas modalidades de técnica e preço ou melhor técnica, conforme já previsto no art. 5º da Lei nº 12.232/2010.

Para os serviços de impulsionamento de mensagens em ambiente virtual e contratação de espaços publicitários e de mídia serão aplicadas as atuais regras para contratação de serviços de publicidade pelo poder público, tendo em vista ter sido mantida a redação atual.

Fonte: ms.gov

Comentários do Facebook

Matérias relacionadas

- Anúncio -

últimas notícias

- Anúncio -
Comentários do Facebook